sábado, 24 de janeiro de 2009

Raízes




Não fixar raízes
é uma boa maneira de sair
sempre antes que a aula acabe.

Não fixar raízes
é uma boa desculpa
para permitir-se ao erro.

Não fixar raízes
é uma boa forma de fechar-se
ao aprendizado da humanidade.

PORÉM...

Não fixar raízes
liberta
o ser humano do comodismo.

Não fixar raízes
expande
a luz do desconhecido.

Não fixar raízes
estabelece
uma conduta de vivência.

Analisar com o coração,
Discernir com a alma,
Vivenciar com o ser...

Em que ciclo de fixação de raízes pode-se estar no momento?

A copa das árvores cresce para o céu,
e as raízes para o interior da terra.


Elaine Siderlí.



22 comentários:

Multiolhares disse...

Talvez tudo passe pela não identificação,
se não nos identificarmos com o que está á nossa volta fica mais fácil a caminhada
bj

Eduardo Aleixo disse...

Estava a ler o seu poema bonito e a pensar na indispensabilidade da nossa ligação ao centro da terra e ao céu. Até que cheguei aos últimos versos e eles leram-me o pensamento. Ou melhor: o seu poema e eu estamos de acordo. Bonito. Gostei. Obrigado pela visita. É sempre bem vinda. Um beijo.
Eduardo

ewelson disse...

Gostei muito da poesia,visto que ela tem por base o desprendimento da alma em relação as hipocrisias do mundo, continue sempre escrevendo assim, pois pessoas como você tornam esse mundo melhor.
beijos mil.

Elaine Siderlí disse...

Querida,

Passear pelomultiolhares é um refresco para a alma!

Grata pelo comentario e visita!

bjs.

Elaine Siderlí.

Elaine Siderlí disse...

Eduardo,

Que maravilha que estão de acordo, a isso chamo sincronia de idéias, você tambem é sempre bem-vindo.

Bjs.


Elaine Siderlí.

Elaine Siderlí disse...

Ewelson,

As pessoas que buscam o bem e a luz tornam o mundo melhor e as que praticam são as que verdadeiramente fazem a diferença real.

Obrigada pela visita.


Elaine Siderlí.

Eduardo Aleixo disse...

Elaine

Concordo com a sua análise sobre o poeminha da dor. Mas no poema apenas quis ilustrar que não há palavras para certas dores. Que muita gente sofre em silêncio. Que nenhuma palavra substitui o que se passa na essência do corpo e da alma. Claro que é difícil transmitir isso. Mas era essa a intenção.
Beijos. Eduardo

Elaine Siderlí disse...

Eduardo poeminha??
Achei lindo!
Sim, o sofrimento em silêncio ocorre sim e penso querido que tambem retratou isos em seu poema apenas peguei uma outra linha de pensamento, afinal a viagem no pensar/imaginar é uma aventura...

bjs.

Elaine Siderlí.

Henrique ANTUNES FERREIRA disse...

Querida Elaine

Venho agradecer-te a tua entrada na minha Lista de Seguidores. Diz aos teus Amigos(as) para o fazerem também. Quero ganhar o Guiness de Seguidores... O teu blogue é muito interessante. Mas eu sou mais prosa do que verso... Feitios

Fico à espera dos teus comentários - três vezes por dia. Adoro São Paulo. Até lá estudei, na Universidade Casper Libero, ali na Paulista, quase em frente à Federação Paulista de Futebol.

Fiz a licenciatura e o mestrado, estudando aqui por correspondência e fazendo aqui também os testes, sob palavra de honra. Só ia aí para fazer exames finais.

E assinei um acordo de Exclusivos do Diário de Notícias com O Estadão.

Fico então à tua espera

Qjs = queijinhos, melhores do que beijinhos... Rimam e têm mais marcas e variedades...

Sil us plau (sff erm català vernáculo...) Manda-me o teu imeile ou imilio. O meu é

hantferreira@gmail.com

Marcelo Novaes disse...

Oi, Elaine!


Agora sim, este blog está bem mais ajeitado, hein?!

Beleza.


Raízes não são só prisão, podem ser suporte. Mas quem não as tem, tem de ancorar-se em clarezas e certezas pessoais muito relevantes. Aí, não será um perdido, mas alguém "que atravessa a ponte" ( Tirthankara é o termo sânscrito para isso, aplicado a Mahavira, o fundador do jainismo). Pode ser um perambulador drogado, também.Ou, um "livre pensador". Mas, para isso, há que ser primeiro...



Beijos,






Marcelo.

Mirse disse...

Elaine! Que lindo o novo visual do blog!
RAÍZES: Se pudéssemos deixar nossas raízes nos lugares onde são pelo menos bem acolhidas, seria tão bom. Mas nem sempre é assim. Adorei sua postagem
Beijos
Mirze

Elaine Siderlí disse...

Querido Henrique,

Eu é quem agradeço o gracejo e a visita,ficarei atenta a sua preferência e quem sabe eu consiga algum dia tornar-me capaz de escreve-la...no momento sou apenas aprendiz...até estou pensando em fazer uma oficina literária com Marcelo Novaes, mas a real finalidade deste blog é permitir que as palavras ao vento se encontrem e encontrem miguxos queridos que afinizados pelo gosto de ler e/ou escrever possam realizar partilhas...

bjs.

Elaine Siderlí.

Elaine Siderlí disse...

Querido poeta e amigo Marcelo...

É sua inflência isso rs...quero dizer que seu blog é uma escola que sua poesia uma delicia e que isso desperta o interesse/desejo por fazer algo que seja bom (sei que é preciso melhorar muito pra ficar razoável...mas que bom que é possível aprender e gente como você disposta a ensinar)
Possivelmente estarei em sua oficina literária em março e isso irá contribuir para a melhora dos textos que escrevo.

Sobre o que vc diz sobre o texto, agradeço(gostei muito)como sempre seu olhar paira onde poucos pairam!

Bjs.

Elaine Siderlí.

Elaine Siderlí disse...

Mirze querida....

Sua visita é sempre um bálsamo e sua amizade uma alegria rara, pois pessoas fiéis são indispensáveis a nossa existência!
Sobre as raizes concordo com você!

bjs.

Elaine Siderlí.

Eduardo Aleixo disse...

Querida

Queria dar os parabéns à cidade de S. Paulo, que mimoseaste no teu último post, mas não sei como fazer, pois não vejo lugar para os comentários! Mas ddeixo aqui, com um beijo, para a cidade e para ti. Eduardo

Elaine Siderlí disse...

Eduardo, grata!

Estou com um probleminha no blog mas espero resolve-lo em breve!
bjs.

Elaine Siderlí.

Eduardo Aleixo disse...

Elaine

Inda bem que gostaste do meu poema de hoje.
Sobre o problema no blogue..Não percebo por que não aparece a minha foto nos que acompanham o teu bligue!
Beijo
Eduardo

Elaine Siderlí disse...

Sim, Eduardo Amei seu poema um bálsamo eu diria!
Em breve voltarei a postar e conta com você,querido!
bjus.

Elaine Siderlí.

Miguel Barroso disse...

Gostei da natureza do poema e do poema da natureza. Escreve-se bem por aqui.



Abraços d´ASSIMETRIA DO PERFEITO

Elaine Siderlí disse...

Grata, Miguel!

Seja bem-vindo!
Gostei do elogio, vindo de alúém que escreve como você é um bálsamo!

Elaine Siderlí.

Anônimo disse...

o que eu estava procurando, obrigado

Elaine Siderlí disse...

por nada!
que bom que de certa forma foi útil!

Abraços.

Elaine Siderlí.