sábado, 15 de agosto de 2009

Amigo

Meu amigo, senta aqui, quero hoje te falar sobre tudo que senti...
Naquela tarde de inverno,
senti o calor da tua voz a me aquecer,
teu sorriso fez meu dia ficar mais claro,
teu perfume me trouxe o sabor da infância,
no abraço doce e terno encontrei o aconchego,
no teu olhar me vi, reflecti.



Meu amigo, senta aqui, quero hoje te falar tudo o que senti...
O ar que sopraste ao meu ouvido ficou rarefeito,
a água que trouxeste lavou meus pensamentos,
a terra que me fez pisar me firmou,
o banho de sol purificou os sentimentos.



Meu amigo, senta aqui, que hoje quero te falar sobre tudo que senti...
A amizade sincera é a melhor relação que se pode ter,
a qualidade do amor que permeia uma verdadeira amizade,
não se apega, não se enciuma, não se excita,
o amor de amigos-irmãos é eterno e indestrutível.



Meu amigo, sentarei sempre ao seu lado, segurarei sempre tua mão
sempre com esse amor
que te deixa livre para voar
e pousar em meu coração como companheiro,amigo, irmão.




(por vezes é preciso se despir de pré-conceitos e deixar o coração sussurrar o sentimento que o envolve, sem mazelas, sem "joguinhos", com transparência, dizer a um amigo de verdade
"amo você".)




Elaine Siderlí.


16 comentários:

Úrsula Avner disse...

Oi Elaine, que terno poema... um mimo ! Bj com carinho.

Elaine Siderlí disse...

Grata querida!
Prazer em tê-la por aqui.
bjus.

Elaine Siderlí.

O Profeta disse...

Não me queres dizer onde mora o teu sorriso
Ausente do incontido abraço
Ausente das palavras felizes
Envolto em nuvem escura no espaço

Não me queres dizer o rumo
Que leva ao teu terno coração
Não me queres abrir as portas
Da cor vibrante da paixão?


Bom domingo



Doce beijo

Elaine Siderlí disse...

Grata profeta,

Pelo doce beijo e pelo carinho!

volte!

Paula Raposo disse...

Obrigada Elaine! Pelas tuas palavras carinhosas no meu ventania. Tenho outros espaços onde escrevo que estão na barra lateral, se acaso os quiseres visitar.
O meu filho do meio tem a tua idade. Mas eu nada posso ensinar...muitos beijos.

Eduardo Aleixo disse...

Amiga,
Li,
Te ouvi,
Senta aqui....
Sim,
Percebi...
Ficas bem.
Eu vou bem.
Pra longe.
Fico perto.
Meu bem.

Elaine Siderlí disse...

Querida Paula,

Bem-vinda ao palavras ao vento...
Por vezes querida ensinamos melhor o que mais precisamos aprender e pelo passeio que fiz ao ventania em poucos instantes pude perceber que sua linda alma estava a escrever para muitos inclusive pra mim...e por isso te agradeço e sei que tenho mto mto ainda a aprender!

Bjinhus.

Elaine Siderlí disse...

Edu, amado Edu...

Você está sempre presente, até mesmo na ausência posso sentir tua presença.
Amei seu retorno por aqui viu...rs...

bjinhus doce!

Marcelo Novaes disse...

Elaine,




Amigo é isso mesmo.



Neeeeeeeeeeeehhhh?!



E esse sotaque português no poema?!


;)


Beijos,








Marcelo.

Elaine Siderlí disse...

Marcelo,

Amigo querido que bem me faz sua visita por aqui, sim amigo é isso sim...somos cumplices em amizades sincera meu caro.

O sotaque?!Rs...temlido Marcelo Novaes hahaha.

Bjus.

KA disse...

Elaine,


Feliz do amigo quando tem uma pessoa maravilhosa como você, como amiga!


....Abração

Amiga!

Elaine Siderlí disse...

Grata, Ka pelas palavras...

bjus.

Léia disse...

Olá!

Estou sem palavras, aliás, faltam-me palavras para expressar o que senti ao ler tamanha coisa linda como este singelo poema. Perfeito, dizer eu te amo a um amigo, de verdade, olhando nos olhos é tudo de bom!
Beijos em teu core.


caminhodasborboletas74.

Eduardo Aleixo disse...

Passei por aqui. Bj

Elaine Siderlí disse...

Léia,

É um grande prazer recebê-la por aqui, onde as "palavras ao vento" de repente chegam até "o caminho das borboletas" atraves do "espaço infinito".

Grata pelo comentário, e bjus em teu core tambem.

Elaine Siderlí disse...

Edu, querido sua passagem nunca acontece sem ser percebida...
adoro-te
bjus doces...