sábado, 20 de junho de 2009

Indagações?



Era noite, chovia,
a penumbra do habitat acolhedor
fazia o convite de olhar pela janela.


Lá fora existe um holofote,
aqui dentro uma luz azul, na vidraça, o reflexo.
E na mente inquieta da menina surge indagações:


Qual luz é real?
O holofote(lá fora),
a azul (aqui dentro),
ou o reflexo na vidraça(que pode ser ambos ou nenhum deles).


Até onde o que penso ser real é reflexo da realidade que escolho viver?
Até onde... Até onde?


Elaine Siderlí.

24 comentários:

Úrsula Avner disse...

Oi Elaine, um mimo de poema ! Prazer em te visitar de novo. Bjs.

Marcelo Novaes disse...

Elaine,



Modo claro de se perguntar sobre onde começa e termina o tecido de Maya, a "ilusão de existir".




Pergunta-Vedanta ou Budista.



;)







Beijos,








Marcelo.

Pena disse...

Notável Amiga:
Tem as inconstâncias da sua Alma enorme, feita de indagações de pureza e beleza.
A perpétua interrogação dos poetas e poetizas.
Construiu um extraordinário poema saído da sua pessoalidade linda.
"...Até onde o que penso ser real é reflexo da realidade que escolho viver?
Até onde... Até onde?..."

Pertence ao Mundo com o seu sentimento e pensamento a ele direccionado.
Perfeito. Adorei. Excelente.
Tem uma harmonia e talento poético sublimes de encantar.
Bem-Haja, pela sua atitude.
Beijinhos amigos que a respeitarão e estimarão sempre.
Com admiração pelo seu enorme talento

pena

Lindo, de ver!
OBRIGADO pela sua amizade.

Elaine Siderlí disse...

Ursula, querida

O prazer em te receber por aqui é todo meu!
Grata!

bjus.

Elaine Siderlí.

Elaine Siderlí disse...

Marcelo,

É com imensa gratidão e admiração que o recebo.

Bjus.



**Paio, estas siempre ciertus, cuando ana-lisa myo SER!
bessitos.


Elaine Siderlí.

Elaine Siderlí disse...

Pena,

A cada vez que leio um comentário que realizas, a emoção aflora e as lágrimas percorrem minha face com a afirmativa "A distância verdadeiramente não existe, a sincronicidade do bem aglutina os que se dispoem para o bem!"
Grata meu querido amigo.
Beijos em sua alma carregados de carinho e admiração.

Elaine Siderlí.

Multiolhares disse...

Acho que devemos viver o nosso destino já traçado, mas cada vez me convenço mais que somos uma projecão, somos ilusão, mesmo assim se cá estamos em aprendizado, devemos de continuar

Namastê

Renata de Aragão Lopes disse...

Vivemos delas
- dessas interrogações...

Prazer em visitá-la.
Um beijo.

Elaine Siderlí disse...

Namastê querida!

Proseguir sempre!

grata pela visita!

bjus.


Elaine Siderlí.

Elaine Siderlí disse...

Renata, seja muito bem-vinda!

O prazer em recebê-la é todo meu.

bjus

Elaine Siderlí.

Mirse disse...

Elaine, minha amiga linda e querida!

O irreal é essa mudança de nome de blog que me confunde as idéias.

Vejo no reflexo, o que trazemos dentro da alma, aquilo que gostaríamos que fosse.

A Luz, quer holofote ou azul, é real. e essa vc tem de sobra.

Belo poema, amiga!

Beijos

Mirse

Elaine Siderlí disse...

Mirse,

Agradeço o carinho e o cmentário.

bjus mil...

Elaine Siderlí.

Eduardo Aleixo disse...

A folha é verde, ou é o verde que existe na folha? - como perguntaria Fernando Pessoa.
Haverá separação entre o observador e a coisa observada? Acho que não. Nós somos o que vemos e do que temos consciência. Vamos olhando, vendo, sentindo, vamos sendo. Como um rio. E seremos tanto mais rio quanto menos pensarmos. Ser é assim ser, simplesmente.
Tudo isto são palavras. Produtos da mente. Não é o ser-sendo. O ser-sendo não se separa assim entre mente-mão que escreve- e palavra que se interpreta.
Beijo. E vivamos ligados ao cosmos, universo, em harmonia, sem inquietações. Isso sim, é uma realidade, será uma realidade, onde já nem o real existe, e muito menos a ilusão.
Mas são palavras.
Sejamos, simplesmente...
Bom domingo.

Marcinha Girola disse...

Oi miguxa...

De perguntas sem resposta, de certezas sempre duvidosas que vamos vivendo com passos apressados em busca de ninguém mais que nós mesmos...
E se as indagações são tantas, que façamos desse existir-reflexo um ser que vale a pena ser sentido.

Namastê

Elaine Siderlí disse...

Querido Edu,

Agradeço a visita, eu já estava sentindo sua falta por aqui rsrs...
O que você disse sobre onde nem o real mais existe, quem dirá a ilusão, creio eu ser um estágio evolutivo que todos nós buscamos.

Adorei, beijinhos...

Elaine Siderlí.

Elaine Siderlí disse...

Ooowww Marcinha, querida...

Em poucas palavras disse tudo hein, moça?!

"Um ser que vale a pena ser sentido."

Grata, pela visita...volte mais vezes ok?!rss

bjus.

Elaine Siderlí.

Pena disse...

Doce Amiguinha:
Um poema lindíssimo. Saído da sua mais pura beleza.
Fantástico.
Beijinhos agradecidos.
Sempre a respeitá-la e a estimar o seu valor de ouro.

pena

Já fiz a votação com os dados que, amavelmente, me deu.
Resta confirmar no seu e-mail no link: TOPBLOG que já lá deve estar para clicar.
MUITO OBRIGADO sincero.

Elaine Siderlí disse...

Pena,

Querido amigo e professor, eu é que agradeço sua visitinha por aqui e com relação a votação já confirmei!

bjus.

Elaine Siderlí.

Fernando Claro disse...

Até onde nos é dado o direito de escolher o que é realidade?

Elaine,

Cordiais saudações e lindas rimas.

O Claro

Elaine Siderlí disse...

Claro,

Que maravilha tê-lo por aqui a "clarear" essas palavras soltas ao vento...

Brigadinha...

bjus.

Elaine Siderlí.

Renata de Aragão Lopes disse...

Sim... até onde?
.......................
.......................
Um beijo,
doce de lira

Elaine Siderlí disse...

Grata Renata!

bjus iluminados a você!



Elaine Siderlí.

Eduardo Aleixo disse...

Passsei para te desejar boas férias e eixar beijinho.

Elaine Siderlí disse...

hum...que delicia...
capturei os beijinhos e agradeço o desejo de boas férias!

bjus na alma querido!