quinta-feira, 5 de março de 2009

A tarde no mar



Certa tarde, diante do mar,
observando as estrelas que não pôde mirar,
havia algo escondido na retina do menino
que ao brincar explicitava
a essência de uma alma
que por esta existência
escolheu planeta Terra
como morada.




Elaine Siderlí.

31 comentários:

Eduardo Aleixo disse...

Esse terno menino, essa alma junto do mar e vendo as estrelas no seu interior, lembrando-as, somos nós, na terra, nossa morada passageira...
Beijo

PS : se quiseres vai ler no meu blogue os últimos 2 poemas...

Eduardo

Bj

Elaine Siderlí disse...

Edu,querido

Que belo o que escreveu!
Tô indo pra lá já já rs...

bjus.

Elaine Siderlí.

Café da Madrugada® Lipp & Van. disse...

e o melhor é a alma criança, a alma menina... que nas brincadeiras da vida, deixa explicitos seus sentimentos e viaja mesmo tão centrada assim, na sua morada.

A.S. disse...

Elaine...

No olhar de uma criança, cabe inteiro o universo!...

Gostei do teu blog! Bela poesia e muito bom gosto... voltarei!


Bjus

Café da Madrugada® Lipp & Van. disse...

Olá *-*
tem selinhos pra você no nosso blog.
Passa lá pra ver as regras, rs.

Beeeeeeijos!

Elaine Siderlí disse...

Van e Lip,

É isso aí a alma é sempre uma linda criança e deve conter os segredos de um ancião sem jamais se esquecer de brincar!

bjus, querios e grata pela visita e pelos selinhos rs...


Elaine Siderlí.

Elaine Siderlí disse...

Olá A.S.

Que bom que você chegou, agradeço o elogio e fico feliz por você ter gostado do blog, volte, volte sim pois aqui as palavras são assim meia que jogadas ao vento e aprecio expor tambem as palavras dos amigos por aqui tambem!

bjus.


Elaine Siderlí.

Hugo de Oliveira disse...

Expressivo o texto... e esse "menino" significa tanto...

parabens.

Elaine Siderlí disse...

Olá Hugo!

Agradeço seu olhar e seu comentário, realmente esse "menino" tem um simbolismo todo particular!

Bjus.


Elaine Siderlí.

KA disse...

Elaine,

Sua brisa de palavras deve soprar sempre.

Grande abraço
Ótima noite!

manzas disse...

Tocavam os raios ensolarados e madrugadores
Nas vastas planícies, terras por conquistar…
Do chão brotavam vidas e esperanças de amores
Colhidas por ninfas ao som de flautas, a dançar

Mas nessas terras, também corriam ventos de tirania
Trazidas por lordes e senhores de um Rei ditador…
Cobrando liberdade a um povo que por ela ardia
Forçados às leis impostas pelas espadas, suor e dor

Um resto de uma agradável semana!

Bem-haja!

O eterno abraço…

-MANZAS-

Betania Lisboa disse...

Olá Elaine quanto tempo.
No olhar de uma criança pode esconder lindos sonhos...
Um super beijo.

Elaine Siderlí disse...

Querido Ka...

Ela sopra em seu ouvido
atrás de sua nuca
soprará sempre pra você
ainda que seja uma mera conexão
interceptada por alguma ilusão.

Adoro você!
beijos ternos.


Elaine Siderlí.

Elaine Siderlí disse...

Manzas, voltaste!!
Viva!

bjus.

Elaine Siderlí.

Elaine Siderlí disse...

Olá Betania,

O tempo é um menino travesso, que por vezes não enxergamos passar.
Você é sempre muito bem-vinda, querida!

bjus.


Elaine Siderlí

Multiolhares disse...

As crianças sabem, entendem a essencia dos mundos, crescem e tudo se perde
beijos

Peter Pan disse...

Linda Amiga:
Este "Palavras ao Vento" é simplesmente, delicioso. Repleto de ternura e carinho.
As palavras parecem mágicas e seleccionadas com o seu encanto. Encanto imenso.
Adorei!
Com respeito e estima
Beijinhos de amizade pura


p.p.

Bem-Haja, Amiga, tem uma sensibilidade linda. Fantástica. Parabéns sinceros.

Elaine Siderlí disse...

É mesmo verdade querida que elas crescem, mas conto-te um segredo...ainda sou criança rs rs rs e nada se perde se transforma!


Grata pela visita!
bjus.

Elaine Siderlí.

Elaine Siderlí disse...

Bem-vindo querido Peter!

Obrigada pela visita e pelas belas palavras, volte sempre que um pensamento feliz te fizer voar ok?! :) rs...

Bjus.

Elaine Siderlí.

Mirse disse...

Que lindo, Elaine. Poucos percebem a maravilhosa magia do olhar de uma criança. Como lido com elas e as adoro, vejo na elétrica vontade de saber o mundo, pausas do olhar, como essa que você poetisou.

Parabéns, amiga

Beijos
Mirze

Elaine Siderlí disse...

Agradeço Mirze

Seu comentário e sua visita!

bjus.


Elaine Siderlí.

Eduardo Aleixo disse...

Passei por aqui para agradecer-te a generosa colaboração dos teus comentários no meu blogue e para te dar um beijinho muito grande e desejar-te um bom fim de sewmana.
Eduardo

Elaine Siderlí disse...

Edu, beijinhos retribuidos meu querido!
Eu tambem te agradeço!
bom fim de semana!


Elaine Siderlí.

Maria Valadas disse...

O olhar de uma criança, é limpido como a água da fonte.

Seu poema é doce...

Bjs,

Maria

Elaine Siderlí disse...

Grata, querida!
Bem-vinda e volte quando desejar que as palavras ao vento te toquem com doçura!

bjus.


Elaine Siderlí.

manzas disse...

O sol rasga os panos do horizonte
Em pacífico brilho de sua magnitude…
Cadenciado ondular que em mar bronze,
Excelsa beleza no marulhar da virtude!

A rocha na ânsia do dia, bebe sedenta do mar,
Firmada num profundo e desigual chão azul …
Cristalizadas águas reflectem o planar,
Das majestosas e imperais… gaivotas do sul!

Gostava que comigo
Desse asas á sua imaginação,
No… “Portal da rocha… penedo do guincho!”

Um bom fim-de-semana,
Com muita inspiração
E na mente… um sorriso!

O eterno abraço…

-MANZAS-

KA disse...

Elaine...

Escreva!!!


Abração
bjsss.

Multiolhares disse...

Só as crianças, sabem escolher os caminhos e os verdadeiros destinos
beijos

Elaine Siderlí disse...

Manzas,

Boa semana querido!
Grata pela visitinha!

bjus.


Elaine Siderlí.

Elaine Siderlí disse...

Ka,

Querido, grata pelo "puxão de orelha"rsrs...
Por vezes é necessário que verdadeiros amigos nos puxem de volta a nossa essência, e você faz isso muito bem, agradeço seu cuidado e sua atenção, em breve retomarei.

Bjus.


Elaine Siderlí.

Elaine Siderlí disse...

Querida, é verdade!

A pureza da escolha de uma criança faz com que nossos "pensares" desabem diante da facilidade com que elas vêem o mundo e é assim que gosto de estar no mundo...pelo olhar de uma criança.

Agradeço a visita!

bjus.


Elaine Siderlí.